Termas de Caracala


 

Termas de Caracala

 

 

 

         Caracala nasceu na Gália em 186 d.C. Foi o primeiro filho da futura imperatriz Júlia Domma e do governador da Gália Lugdunense, Septímo Severo. Apesar de em 197 ter sido proclamado Imperador, em 198, após o seu pai sair vitorioso de uma guerra civil foi aceite pelos colégios sacerdotais e nomeado Augusto (co-imperador). Caracala tinha uma política militar agressiva e tinha como hábito fazer gastos desnecessários em obras públicas. Um desses grandes gastos, que acabaram por ser importantes, foram as termas de Caracala, fazendo com que a ecónomia do Império entrasse em declínio.

         As termas eram locais muito importantes para os romanos. Estes possuíam estabelecimentos luxuosos de banho. As termas não existiam só na cidade, mas também nas pequenas aldeias, sendo um bom hábito de higiene para eles, levando os banhos como divertimento. As termas de Caracala eram um bom exemplo deste divertimento. 

         Embora hoje estejam relativamente afastadas, originalmente encontravam-se num ponto muito urbanizado de Roma, entre o Célio e o Aventino. 

As termas de Caracala foram construidas entre 212 e 217. Podiam acolher mais de 1500 pessoas num edificio que media 337 metros por 328, sendo somente a parte central de 220 metros por 114.

        O recinto externo era constituído por um pórtico, aos fundos existia uma exedra em formato de escalina que escondia umas enormes cisternas, que tinham capacidade de levar 80.000 litros de água. Apesar de encontrarem em ruinas, estas são as unicas termas no mundo que demonstram verdadeiramente como seriam as termas romanas. Estas parecem seguir sempre o mesmo plano, que é uma sala centra, com frigidarium, situado de um lado (banhos de água fria), e do outro, o tepidarium e o caldarium (tratamentos de massagem e vapor). Existiam também outras salas, tais como, o laconicum, que servia para convivio e leitura, e em alguns casos, neste mesmo sítio, existia a biblioteca. As outras áreas que poderiam existir eram lojas, livrarias e, por fim, teatros.

        Na parte de trás do edíficio existia locais, como, o estádio, que servia para os romanos fazerem exercícios físicos. Os tectos das termas de Caracala eram abobadados, de uma forma nunca pensada para estas estruturas. Nestas termas, além dos tectos serem diferentes, eram decoradas com pinturas e mosaicos. Existia um passeio elevado que contornava internamente o recinto.

       Grande parte da estrutura destas termas ainda se encontra conservada, sem a interferência de edifícios modernos.

 

 

 

 

 

    

 

                                                                                                                                

 

 

 

 

 

         Bibilografia