| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • Finally, you can manage your Google Docs, uploads, and email attachments (plus Dropbox and Slack files) in one convenient place. Claim a free account, and in less than 2 minutes, Dokkio (from the makers of PBworks) can automatically organize your content for you.

View
 

Itália do Quattrocento

Page history last edited by PBworks 13 years ago

 

Itália do Quattrocento

 

 

 

                                                   Estados italianos durante o Renascimento A imagem tem pouca qualidade

 

 

 

 

    A Itália do quattrocento surgiu com o final da idade média que foi marcado por diversas catástrofes como a peste negra, a fome e pragas, a Igreja entrou na sua maior crise - Grande Cisma do Oriente entre 1378 e 1417 e o Império Bizantino caiu às mãos dos Turcos Otomanos.

    Com a tomada de Constantinopla em 1453, os artistas bizantinos retiraram-se para a Itália e com eles levaram a tradição cultural clássica de raízes gregas que se reflectiu no processo de renovação cultural e artistica do quattrocento italiano. Germinou um crescente optimismo e crença nas potencialidades do homem e renasceu uma nova consciência do seu lugar no mundo associada a cultura da antiguidade greco-romana.

    Com a dissipação da época medieval emergiu um novo espirito alicerçado no renascimento do Humanismo e do Classicismo antigo. Os arquitectos, escultores pintores e eruditos italianos tentaram a reconciliação da fé cristã com o pensamento clássico.

    No inicio a Itália não tinha uma unidade politica, estava dividida em ducados, républicas e reinados soberanos representados por cidades-estado rivais entre si, sendo que dessa rivalidade resultaram grandes realizações artisticas e arquitectónicas.

 

 

 

        Mecenas:

 

    Os mecenas, que eram banqueiros, comerciantes e mercadores muito cultos, transformaram-se nos principais protectores das artes e interessavam-se por politica e estratégias militares.

 

 

Lourenço de Médicis

 

 

    A história do Renascimento está directamente relacionada com a da familia Médicis de Florença. Era uma familia de banqueiros "amiga " da cultura Clássica. Lourenço era poeta, musico e escritor, era mecenas logo protegia os artistas e era coleccionador de livros e manuscritos antigos.

 

 

 

Florença

 

 

   Florença destacou-se entre os conflitos entre as cidades-estado e venceu Milão por volta de 1400, evitando assim o seu poder hegemónico sobre toda a peninsula. Florença tornou-se então no modelo de república livre, fazendo renascer o orgulho cívico e patriótico nos florentinos e os ideais humanistas de renascimento do Classícismo em que o culto das artes, das letras e da música tinha lugar priviligiado.

 

    (ideia fora de contexto) Desde o século XII a Itália fazia parte do Sacro Império Romano-Germânico encontrando-se politicamente destabilizada e dividida em dois grupos rivais: la parte guelfa, devota ao Papa, e la parte ghibellina, que obedecia às ordens do Imperador. Este conflito destruiu velhas estruturas feudais, enfraqueceu as finanças e as familias nobres e favoreceu a burguesia, os mercadores e os comerciantes de cujo poder resultaram as cidades-estado e as grandes familias burguesas do Renascimento.

    Nesta nova sociedade, o fausto, o aparato, os torneios e as festas, também o mecenato, a arqitectura, a pintura e a escultura experimentaram a sua influência. Os ricos mercadores, os burgueses e os banqueiros vão disputar os artistas mais aclamados, vão construir os palácios mais deslumbrantes e enriquecer-se de obras de arte que representam um espirito novo.

 

 

 

 

       

                                                                                                       Pico Della Mirandola                              Alberti

 

 

    Em Florença, homens como Marsilio Ficino, Pico della Mirandola e Alberti empenhavam-se em consiliar o pensamento platónico com a doutrina cristã, pretendiam traduzir o seu pensamento em imagens sensiveis e belas explicando assim que a beleza exterior decorre do reflexo dos valores interiores e da nobreza de alma. Representaram um excepcional desenvolvimento da razão humana que estrutura o pensamento e é a medida de todas as coisas. Para o homem do Renascimento o universo nascido de Deus era forma e medida, proporção e harmonia, beleza e perfeição.

 

 

 

   

                                                                                  Giotto                                            Niccola Pisano

 

 

    O que levou a esta evolução artistica foi a atracção pelo Naturalismo que se exprimia na Toscana com Giotto e os Pisano (Niccola e Giovanni). Também a Antiguidade se encontrava ligada ao Naturalismo e soubera encontrar uma expressão plástica na beleza humana. Era este sentido de volume, de modelado, de expressão do movimento e da composição das figuras entre si, que demonstravam os baixos relevos e as estátuas, ainda, da civilização greco-romana. Da exigência do Naturalismo iria nascer o estudo do espaço e da codificação da sua representação numa disciplina geométrica, a perspectiva linear.

 

 

    Por outro lado a obra iria adquirir a sua independência e o artista a sua autonomia: a obra de arte já não é apreciada pela sua fidelidade ao projecto, pela qualidade dos materiais empregues ou pela precisão da execução, mas sim pelo nível de invenção, pela subtileza da forma e pela originalidade da inspiração, marcas que a partir dessa altura distinguiriam um grande artista.

 

 

 

 

Vanda Gonçalves Nº21

 

 Falta a bibliografia

 

slide errorPlugin error: That plugin is not available.

Comments (4)

Anonymous said

at 3:15 pm on May 22, 2008

Nada para comentar.

Anonymous said

at 7:26 pm on May 27, 2008

A Vanda deve continuar a melhorar o seu trabalho. A imagem inicial está desfocada.

Anonymous said

at 8:02 pm on May 27, 2008

eu também já tive a pensar que a imagem podia estar melhor mas ela foi digitalizada acho que não a consigo por melhor.

Anonymous said

at 7:55 pm on Jun 3, 2008

O trabalho podia estar melhor. Existem dois tipos de orientação devido às obras que foram consultadas, o que implica um desiquilibrio no texto. As ideias foram repetidas: numa primeira fase utilizou o que tinha feito para o ppt, para em seguida escrever um texto diferente.
Falta a bibliografia.

You don't have permission to comment on this page.