| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • Want to get organized in 2022? Let Dokkio put your cloud files (Drive, Dropbox, and Slack and Gmail attachments) and documents (Google Docs, Sheets, and Notion) in order. Try Dokkio (from the makers of PBworks) for free. Available on the web, Mac, and Windows.

View
 

Donatello

Page history last edited by PBworks 13 years, 8 months ago

Donatello

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Donato di Niccoló di Betto Bardi- mais conhecido como Donatello – foi um grande escultor italiano do Renascimento, século XV. Trabalhou em Siena e Florença, Prato e Pádua, onde terá realizado obras de tão grande mérito expressivo que o catapultou para a fama e a imortalidade.

 

   Crê-se que, nascido no ano de 1386, cedo terá manifestado grande habilidade na escultura, vindo-se a tornar no grande escultor italiano que foi, e imortalizado para sempre dado o seu talento em representar a beleza em algo tão comum como uma pedra.

 

Pode-se dividir a carreira de Donatello em três períodos: o primeiro, quando Donatello se iniciou na escultura, apresentado características de Gótico; o segundo, define-se num confiar nas características da escultura helenística; no terceiro período, o mais importante e culminar de toda a sua carreira, liberta-se do Classicismo e adere à dramatização da estátua como forma de demonstração dos sentimentos.

 

 

 

 

 

Uma primeira fase, o inicio de um génio...

 

  Começara como um simples ourives. Durante a adolescênçia fora educado por Roberto Martelli, partindo para estudar clássicos de arquitectura com Brunelleschi na capital, Roma, em 1402. Mais tarde, entre 1404 e 1407, e após um concurso de escultores concorrentes a trabalhar no Baptistério - do qual Ghiberti saira vitorioso -, fora ajudante deste durante aproximadamente 3 anos. Mas só em 1408 é que Donatello viria a demonstrar o seu talento na arte da escultura, quando esculpiria a estátua de David, em mármore, demonstrando sinais de um Gótico já tardio. Sem a supervisão do seu mestre, Donato conseguiu demonstrar a  sua capacidade sublime de representar o corpo humano numa harmonia e perfeição lendárias. Foi nesta obra também que Donatelo retomou ao contrapposto,a “velha” característica clássica que conferia à estátua uma grande expressividade e vitalidade.

 

Mas Donatello obviamente não ficara por aí, e após David outras obras se seguiram: São Jorge, de 1415-17, uma estátua de um santo orgulhoso, divinizado a herói triunfante, símbolo do Renascimento. Na base da estátua - São Jorge e o Dragão - Donatello representou um baixo-relevo, um schiacciato, e onde o escultor faz uso de perspectiva e de um plano representativo nítido para “narrar” a luta do santo contra a besta. Seguira-se também S. Luís de Toulouse – 1423-1425 – onde o mestre demonstraria a sua “familiaridade” com os ideais de Masaccio; uma silhueta com um movimento acentuado e expressivo.

 

 

 

 

 

Uma segunda fase, a subida do génio…

 

  Pode-se definir esta segunda fase da carreira de Donatello como a fase mediana, aquela que pouco a pouco o aproximava da fama. Aqui Donatello decidira confiar nos parâmetros do clássico e da escultura da Antiguidade. Desde 1425, e durante uma década, Donatello concentrara-se no seu trabalho com o escultor e arquitecto florentino, Michelozzo, um número de vários projectos realizados em parceria. Um deles fora no Batistério, um monumento fúnebre para o Papa João XXII. Aqui, Donatello executara uma figura do Papa, em bronze; Michelozzo focara-se na arquitectura do edifício.

 

  Mais tarde, em 1430 e durante 5 anos, Donatello criara a obra mais notável deste período, provavelmente da sua carreira também: David. Aqui a estátua já não era em mármore como a sua antecessora gémea, mas em bronze. David tornara-se a primeira estátua de pé, nua, criada desde a Antiguidade, e representativa do eleito Rei de Israel que derrotara o gigante Golias. A forma do adolescente em si denota uma beleza que, aliada a sinuosidade e à ênfase do chapéu, espada e luvas, simboliza o ideal Renascentista do Belo e viorioso, uma demonstração de racionalidade emergida de um heroí adormecido que triunfaria sobre força bruta.

 

 

 

 

 

  Uma terceira fase, o cume do génio…

 

  Foi nesta fase da carreira de Donatello que ele conseguira chegar ao cume. Formalmente iniciada em cerca de 1440, Donatello rompera totalmente com a influência clássica e concentrara-se exclusivamente na representação realista, dramática e personificada de cada obra que dai adiante realizara. Deste período pode-se destacar obras como Os Milagres de S. António e a estátua equestre Guattamelata, inspirada na de Marco Aurélio. Aqui, Donatello reinventa o conceito de estátua equestre, criando harmonia e proporcionalidade entre o imperador e o cavalo, e atribuindo ao cavaleiro uma sensação de liderança e poder.

 

Foi neste período final de Donatello - após ter retornado à sua terra natal, Florença - que o escultor criara Maria Magdalena, em 1453, quando retomou a Florença. A obra em si nega uma beleza física que outrora definira o estilo de Donatello, acabando por privilegiar um corpo esquelético, dor implícita no rosto e expressividade sentimentalista da alma humana.  Finalizada a estátua, Donatello ainda viria a realizar um São João Batista para o Duomo de Florença, morreria inesperadamente na mesma cidade onde nascera, decorria o ano de 1466.

 

Após a sua morte, o seu pupilo mais importante fora Desiderio da Settignano, que, apesar de ser pupilo de quem era, nunca adquirira o talento do seu tutor.

 

 

 

 

slide errorPlugin error: That plugin is not available.

 

 

Trabalho realizado por: João Lamas, nº 9

 

 

 

 

 

Comments (8)

Anonymous said

at 4:46 pm on May 15, 2008

Bem que o stor podia comentar o trabalho...

Anonymous said

at 10:18 pm on May 21, 2008

Olá João.
Tens razão, já podia ter comentado o teu trabalho, e é isso que vou fazer a todos os trabalhos a partir de amanhã. Um abraço.

Anonymous said

at 3:26 pm on May 22, 2008

O texto que se encontra a vermelho é para refazer. Faltam imagens das obras e a respectiva explicação.
Rever a questão dos espaços entre as linhas dos parágrafos.

Anonymous said

at 4:32 pm on May 22, 2008

O stor que reponha a cor, eu nao consigo tirar o background para ficar transparente...

Anonymous said

at 4:53 pm on May 22, 2008

Já resolvi o assunto stor. Recomendo que não faça isso noutros trabalhos, depois para resolver é um problema do diabo.

Anonymous said

at 8:32 pm on May 22, 2008

Então stor, o artigo parece-lhe bem? Queria ver se tinha um 20 desta vez...

Anonymous said

at 5:14 pm on May 23, 2008

Vou reler as alterações. Existem links que não funcionam.

Anonymous said

at 8:16 pm on Jun 3, 2008

Falta a conclusão e a bibliografia.

You don't have permission to comment on this page.